Blog

5 set 2014

Entrada triunfal

wdimagem

Clássico, descolado, clean, vibrante, espaçoso ou apertado… Não importa o estilo ou o tamanho, o que vale é a preocupação em impressionar os visitantes e lhes apresentar da melhor maneira o projeto que está por vir. É por essas e outras que o hall de entrada é uma das estrelas da casa e deve garantir uma recepção calorosa. “Sem dúvida, é o cartão de visitas de um lar, pois oferece a primeira impressão a quem chega”, afirma a arquiteta Crisa Santos, de São Paulo (SP).
Segundo ela, ao planejar o espaço, é importante harmonizá-lo com o restante da morada. “Mas coloque sempre uma pitada de ousadia, aposte no inusitado”, aconselha. Ao escolher os componentes, no entanto, evite os exageros.

“Não coloque muitos revestimentos diferentes nem atravanque o local com peças em excesso, pois o hall é um lugar de circulação contínua”, comenta a designer de interiores Iara Santos, de Belo Horizonte (MG). Aparadores e demais móveis selecionados não devem ser muito largos. A profundidade deles pode variar de acordo com o espaço disponível – em locais com metragem enxuta, por exemplo, recomenda-se a escolha de peças com cerca de 50 cm.

Outro quesito fundamental é a iluminação. Pontos de luz direcionados ajudam a destacar os detalhes e são bastante recomendados nesse caso. O projeto geral pode ser feito com spots embutidos no gesso – as lâmpadas dicroicas estão entre as mais utilizadas por reproduzirem bem os tons e as texturas.

O modelo de porta também contribui para a estética e para a funcionalidade do ambiente. Os dois mais usados são o de abrir (convencional) e o pivotante, que não utiliza dobradiças, mas sim um pino que regula a abertura. “Este último permite a visualização total do espaço quando está aberto”, ressalta a arquiteta Juliana Pippi, de Florianópolis (SC).

Fonte: Revista Casa & Construção

Faça seu comentário

Voltar